Dicas

5 tendências para você abrir seu negócio

Abrir seu próprio negócio e conquistar sua independência financeira. Esse é o seu sonho para o próximo ano? Então vamos começar a colocá-lo em prática!

A primeira coisa que você precisa pensar é a área de atuação da sua empresa. E para te ajudar a decidir isso, nós fizemos uma lista de 5 negócios que estão em alta no momento e que tende a dominar o mercado nos próximos meses.

1. Beleza

Entra ano, sai ano e o mercado de beleza continua sendo uma ótima área para se investir. Esse ramo é conhecido por todos como aquele que não tem crise. E esse otimismo tem uma explicação.

Segundo especialistas, em épocas de recessão econômica o consumidor adota algumas posturas diferenciadas. Ele, por exemplo, troca investimentos de longo prazo por dívidas menores.

Por outro lado, as pessoas tendem a gastar na beleza, saúde e socialização com os amigos. Pelo seguinte motivo: se o momento não é bom para realizar sonhos mais caros, o jeito é substituir por satisfações mais baratas.

Então, investir no mercado de beleza é uma opção segura e pode ser uma chance para conquistar sua autonomia.

Dentro dessa área, existem várias vertentes que você pode seguir.

1.1. Beleza masculina

O público masculino tem sido uma boa surpresa para o mercado de beleza e estética. Ele tem se mostrado cada vez mais vaidoso e estão procurando por todos os tipos de tratamentos estéticos.

Esse público tende a gastar mais quando gostam do serviço e indicar o estabelecimento com boas recomendações à família e aos amigos.

A manutenção da barba e das unhas tem bastante aderência entre o público masculino. Sendo uma boa oportunidade para aproximação com o cliente, visto que a constância do serviço cria rotina de frequência no negócio.

1.2. Cosméticos Orgânicos e Naturais

Analistas acreditam que o mercado mundial de cosméticos orgânicos e naturais vai quase dobrar nos próximos 7 anos e alcançar 16 bilhões de dólares em 2020 e 22 bilhões em 2024.

Um dos motivos para esse crescimento é uma maior preocupação das pessoas em consumirem produtos naturais, menos processados.

Você pode abrir uma loja, física ou virtual, para a venda desses produtos. Ou pode também, se tornar um representante de alguma marca e vender para as pessoas de porta em porta.

2. Pets

Melhores amigos do homem e da economia. O mercado de animais de estimação cresce consistentemente, ano a ano.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) que o Brasil fature neste ano a cifra de R$ 15,4 bilhões. Em valores globais, o setor deverá chegar à marca de U$ 102 bilhões.

Se você escolher investir nesse ramo, deve saber que o grande número de concorrentes exige que você tenha diferenciais que o façam destacar dos demais.

Ainda são poucos os lugares que possuem uma grande variedade de produtos ou um atendimento mais personalizado, então foque nisso. Oferecer a integração dos serviços e produtos em espaços unificados é também uma solução criativa e atraente.

Outro ramo legal é o de sites e aplicativos que ofereçam cuidadores ou hotéis para os animais. Assim você pode oferecer serviço de hospedagem para aquelas pessoas que vão viajar e não tem com quem deixar seus bichinhos ou querem deixá-lo em um lugar onde sabem que terão todos os cuidados necessários; ou serviço de passeios para aquelas pessoas que não possuem tempo para fazer isso.

3. Alimentação saudável

O ser humano sempre buscou ter uma alimentação mais saudável. Entretanto, foi somente de uns anos para cá que o mercado percebeu que as pessoas estão dispostas a pagar um pouco mais por uma boa comida, desde que ela tenha de fato algum diferencial que comprove a ideia de “comer melhor para ter uma vida melhor”.

O Brasil é o quarto maior mercado de alimentação saudável no mundo. Somos responsáveis por movimentar cerca de US$ 35 bilhões por ano no Brasil. E ele ainda possui um grande poder de expansão! Segundo dados do Instituto Euromonitor, a alimentação saudável tem potencial de mais de R$ 40 bilhões no Brasil.

Duas grandes tendências do mercado são alimentos sem glúten e comida vegetariana. E em muitas localidades o público que procura comidas como essas ainda não é plenamente atendido, sendo uma ótima opção de investimento.

3.1 Alimentos sem glúten

O mercado de alimentos sem glúten atende a pelo menos dois tipos de público: pessoas que sofrem da doença celíaca e os que seguem dietas que restringem o consumo da proteína.

Segundo o Conselho Nacional de Saúde (CNS), há dois milhões de pessoas no Brasil afetadas pela doença. E as dietas “detox” estão formando uma legião de apreciadores dos benefícios que a ausência de glúten na alimentação propicia.

Uma ideia de negócio nessa área é a de venda de deliciosas marmitas congeladas que não possuem glúten.

3.2 Alimentação vegetariana

Uma pesquisa realizada pelo Ibope revelou que 15,2 milhões dos brasileiros se declaram adeptos do vegetarianismo. Só em São Paulo, são mais de 790 mil pessoas.

Isso mostra que há demanda por produtos e serviços focados nesse tipo de cliente. Vale acrescentar que os negócios focados nos vegetarianos também têm entre seus clientes as pessoas que não se declaram vegetarianas, porém são favoráveis a uma alimentação mais saudável.

Então que tal abrir um food-truck focado apenas nesse público?

3.3 Delivery

O mercado de delivery já está bastante consolidado no Brasil. Então se você deseja abrir um negócio ainda mais inovador dentro do campo de alimentação saudável, pode investir no mercado de alimentação saudável por meio de delivery. Seja através da criação de um site, aplicativo ou até mesmo rede sociais. 

4. Brechó

Reaproveitar o velho em vez de comprar o novo é um conceito que combina bastante com tempos de crise. Pois em tempos como esse, os consumidores passam a buscar produtos mais em conta, sem perder a qualidade. E é por isso que abrir um brechó é um ótimo negócio.

De acordo com dados do setor, o segmento de brechós já movimenta, pelo menos, R$ 5 milhões por ano. E segundo especialistas, esse valor tende a aumentar, já que as pessoas estão se preocupando cada vez mais com temas como sustentabilidade e consciência ambiental. Com isso, esse modelo de economia colaborativa ganhará cada vez mais espaço no mercado.

Foi se o tempo que brechós significava antiguidade. Hoje, eles são sinônimo de excelente opção de compra de roupas, bijuterias, bolsas, calçados e acessórios pessoais.

Caso você decida investir nesse ramo, precisa ter em mente qual será o seu nicho de mercado e quem será o seu cliente. Além disso, precisa saber que deverá ter cuidado com a curadoria e higienização das peças.

A dica para se dar bem nesse negócio é caprichar na qualidade das peças vendidas, praticar um preço justo, escolher bem o local de vendas desse produto (loja física ou meios online) e trabalhar na divulgação.

Embora seja um mercado frequentemente incentivado, ainda há espaço para a venda de peças usadas. As principais oportunidades estão no meio online, podendo negociar com pessoas de todo o Brasil que buscam artigos específicos.

5. Desenvolvimento de aplicativos

Se você perceber, na maioria das tendências já citadas nessa matéria, falamos em algum momento, sobre sites e aplicativos. Isso, porque com a popularização dos smartphones, eles passaram a ser mais usados pelos consumidores.

Por isso, aplicativos desenvolvidos com foco em soluções práticas nunca deixam de ter mercado. Além deles, há uma tendência para soluções com data de validade, porém de grande utilidade, como apps relacionados a grandes eventos.

Como esse setor ainda é muito recente, existem várias oportunidades que podem ser exploradas. Tudo vai depender do que você sabe ou gosta de fazer.

Caso você já possui um negócio, você pode criar um aplicativo próprio informando sobre os serviços oferecidos por ele. Com um app você pode fidelizar os seus clientes, oferecendo a eles promoções exclusivas ou ainda enviando notificações sempre que houver algo novo e que mereça ser destacado.

Lembre-se que um app deve ser prático e fácil de ser utilizado. Além disso, e, acima de tudo, ele deve fazer a diferença na vida do seu cliente e não ser apenas um meio para que ele receba propagandas.

Conclusão

As tendências de negócios para o próximo ano, são amplas e bem diferentes umas das outras, não é mesmo? Os setores de beleza, pet e alimentação, podem até parecer saturados, mas continuam aparecendo nas listas de tendências.

Esses mercados ganharam um gás nos últimos anos, devido a mudanças no comportamento dos consumidores e na tecnologia, que permitiu que eles descobrissem novas demandas e nichos de atuação.

Os brechós também continuam com tudo, principalmente, devido à crise econômica que fez com que as pessoas passassem a procurar por opções mais baratas.   

O desenvolvimento de aplicativos é uma tendência nova no mercado, que provavelmente vai durar por muitos e muitos anos. Já que o desenvolvimento da internet, pode trazer novidades que mudem a forma de consumo e interação entre os clientes.

E aí, você se interessou por um dessas tendências?

Lembre-se! Essas dicas de tendências de negócios servem para aqueles que querem abrir um negócio, mas também para aqueles que querem conquistar uma renda extra, sem necessariamente largar seu emprego atual. 

Deixe seu comentário